Suplemento ao diploma

O Suplemento ao Diploma, que se enquadra nas recomendações da Declaração de Bolonha,é um documento complementar do Diploma, que é conferido no final de um programa de estudos. O modelo de Suplemento ao Diploma, elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES, tem por objectivo fornecer dados independentes e suficientes para melhorar a transparência internacional e o reconhecimento das qualificações, quer para fins académicos, quer para fins profissionais.

O Suplemento ao Diploma, que se enquadra nas recomendações da Declaração de Bolonha,é um documento complementar do Diploma, que é conferido no final de um programa de estudos. O modelo de Suplemento ao Diploma, elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES, tem por objectivo fornecer dados independentes e suficientes para melhorar a transparência internacional e o reconhecimento das qualificações, quer para fins académicos, quer para fins profissionais.

Dele deverá constar, nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, a descrição do sistema de ensino superior português, a caracterização da instituição que ministrou o ensino, a formação realizada, o seu objectivo e os resultados obtidos.

 

Conteúdo e estrutura

É um dispositivo para fornecer informação sobre a natureza, nível, contexto, conteúdo e estatuto dos estudos, devidamente concluídos pelo indivíduo mencionado no diploma ou certificado original, de forma a facilitar o seu reconhecimento justo. Deve evitar juízos de valor, possíveis equivalências ou sugestões de reconhecimento.

 

O Suplemento ao Diploma é um documento bilingue, escrito em português e inglês e é emitido obrigatoriamente sempre que é emitido um diploma de final de curso, e só neste caso.
Pela emissão do suplemento ao diploma não pode ser cobrado qualquer valor.É gratuito.

Exemplo de Suplemento ao Diploma (Diploma Supplement) – Português >>

Exemplo de Suplemento ao Diploma (Diploma Supplement) – Inglês >>

Decreto-Lei n.º 42/2005, de 22 de Fevereiro >>
Portaria n.º 30/2008, de 10 de Janeiro >>

 

 

Conteúdo

Este documento contempla, assim, diversas medidas com vista à definição e ao estabelecimento de:
 número de créditos ECTS por cada unidade curricular, abrangendo todas as formas de trabalho previstas, incluindo horas de contacto e horas dedicadas a estágios, projectos, trabalhos no terreno, estudo e avaliação;
 classificação das unidades curriculares;
 classificação e qualificação final dos cursos e graus;
 menção qualitativa;
 sistema europeu de comparação de classificações.

O ECTS confere transparência através dos seguintes instrumentos:
Créditos ECTSque representam, na forma de um valor afectado a cada disciplina, o volume de trabalho que o estudante deve produzir (um semestre representa 30 créditos ECTS e um ano lectivo representa 60 créditos ECTS);
OPacote Informativo ECTSque contém informação destinada aos estudantes e aos membros do corpo docente sobre as universidades, os departamentos/faculdades, a organização e a estrutura dos cursos e as disciplinas que as compõem;

 

Estrutura

O Suplemento ao Diploma surge então como um instrumento que permite alcançar os objectivos anteriormente descritos, com uma estrutura normalizada, onde surgem informações diversas relativas aos seguintes aspectos:
 titular da qualificação;
 identificação da qualificação;
 nível da qualificação;
 conteúdos e resultados obtidos (classificações referidas em Créditos ECTS);
 função da qualificação;
 informações complementares;
 autenticação do Suplemento;
 informações sobre o sistema nacional de Ensino Superior.

 

O que não é o Suplemento do Diploma?

 não é um Curriculum Vitae
 não substitui o certificado original
 não é um sistema de garantia automática do reconhecimento.

O que oferece aos estudantes o Suplemento do Diploma?
 um título mais compreensível e facilmente comparável no estrangeiro
 uma descrição exacta dos estudos superiores efectuados e das competências adquiridas durante o período de estudo
 objectividade e juízo imparcial dos resultados e competências
 uma melhor inserção no mercado de trabalho ou continuação dos estudos no estrangeiro
 uma maior empregabilidade (as empresas estão cada vez mais interessadas no perfil do estudante que o SD oferece)

 

 

O que oferece às Instituições de Ensino Superior?

facilita o reconhecimento académico e profissional, aumentando desse modo a transparência das qualificações
 respeita a autonomia nacional, oferecendo ao mesmo tempo um marco comum aceite em a toda Europa
 contém valores concretos sobre as qualificações e sobre os títulos académicos, o que os torna compreensíveis num outro contexto educativo
 aumenta a visibilidade do país no estrangeiro
 promove a empregabilidade a nível nacional e internacional
 simplifica o processo de decisão relativamente ao reconhecimento académico e/ou profissional

PREPARADO PARA CANDIDATAR-SE?

O FUTURO COMEÇA AGORA!

PREPARADO PARA CANDIDATAR-SE?

O FUTURO COMEÇA AGORA!